Follow by Email

20140305

Ucrânia:

O que vale é que por cá poucos ainda perceberam a real dimensão do que se está a passar na Ucrânia e, entre outras trivialidades, perceber o que se passou no Meco é que é imperativo.
O FMI (essa entidade da salvação), tratou logo de dizer aos fascistas, que perante a multidão elegeram o governo num acto digno da melhor democracia ateniense, que estará disposta a 'ajudar' a Ucrânia e Christine Lagarde (essa eterna candidata ao Nobel da Paz e que se perfilha para a sucessão a Durão Barroso na cada vez mais amorfa, pesada e burocrata UE), já está com viagem marcada a Kiev.
Seria evidente prever que Moscovo iria reagir.

E de idiota a idiota segue o rumo da governação na Ucrânia e nós no sofá à espera que a bomba estoure.


http://www.huffingtonpost.com/2014/03/01/ukraine-russia-crimea_n_4879935.html 

Jorge Garcia Pereira

20140228

O estado das coisas / As coisas do Estado

Ontem sala cheia em Serralves para ver e ouvir uma tríade (tal como apelidou a moderadora da conversa Maria João Seixas), extraordinária de reflexão sobre o que somos e o que seremos enquanto portugueses, nação e cultura.
Eduardo Lourenço, uma vez mais duma generosidade sem limites proferiu um discurso de esperança com enorme lucidez intelectual e mesmo espiritual. Foi com ele que se fechou a sessão proferindo a expressão da noite com a humildade de quem já viu tudo o que tinha para ver mas que, mesmo assim, não se sentiria detentor de toda a verdade: 'Eu já estou para além do fim.'
José Gil, sempre crítico mas igualmente assertivo nas suas análises bem estruturadas. A organização disse facultar os seus textos mas hoje em visita ao site de Serralves toda a informação sobre os debates já tinha sido retirada. Se entretanto encontrar algo partilho, pois vale a pena a sua leitura.
José Pacheco Pereira, um discurso mais colado à terra, lúcido, crítico do actual governo e modelo que passivamente assistimos e que nos tem mergulhado numa constante perda de qualidade de vida. Lançou ao debate a questão que o problema há muito que não é só interno.

Do público apenas a reter a questão sobre o que fazer.

Mas era uma questão sem resposta naquele momento. A noite era para ouvirmos sobre o problema  do 'hoje' e regressarmos em reflexão. Cada um sabe o que, à sua maneira, fazer.

A questão com que fico é a de que porque não fazemos?
E é precisamente por esta dúvida que vos escrevo.

Um bom fim-de-semana de Carnaval.

Jorge Garcia Pereira

20140214

Best European Destination 2014

Que o Porto é uma cidade muito interessante e uma das maiores surpresas para quem a visita, é. Quem a visita não espera que a segunda maior cidade dum país periférico da Europa tenha tanta oferta do ponto de vista patrimonial, cultural, gastronómico e natural.
Mas daí a andar sempre a ganhar prémios, hummm.... confesso deixar-me intrigado sobre o modo como estas votações são feitas e sobre a real importância e projecção internacional destas coisas.

http://www.europeanbestdestinations.org/top/europe-best-destinations-2014/

Jorge Garcia Pereira

20140213

100 dias na CM Porto:

Mais de 100 dias passaram sobre a tomada de posse do actual executivo da CM Porto presidido por Rui Moreira.
Talvez pelo Inverno, ou pelo pouco tempo que tenha sido, pouco se sinta efectivamente no terreno do trabalho feito. Encontraram-se acordos, chegaram-se a consensos e no entretanto várias individualidades da cidade voltaram a querer estar presentes na acção. Estes parecem-me ser os pontos a destacar.

No que ao meu trabalho directamente diz respeito e estando eu tão activamente envolvido na reabilitação da cidade como arquitecto e investidor, o pelouro do urbanismo tem sido até ao momento, mesmo para mim, uma incógnita.
Pouco ou nada parece ter mudado do ponto de vista de abordagem e politica urbana e do pouco que parece vir a mudar no imediato (pelo que vou sabendo), temo que se venham a criar mais entraves e problemas aos processos de reabilitação em curso fora das zonas do âmbito da Porto Vivo, precisamente aquelas onde mais estou presente.
No passado sábado ouvi o vereador (pessoa pela qual nutro grande estima), dizer que ainda não teria uma ideia de cidade. Pois tentarei dar uma ajuda para já com dois pontos que me parecem fundamentais e que o farei saber:

- Dotar a Porto Vivo de todas as condições necessárias para continuar a executar o trabalho que apenas deveria fazer e que a meu ver actualmente tem feito bem, que é o de apoiar e avaliar projectos em curso para a sua área de intervenção.
- Criar mecanismos no urbanismo na CM Porto de simplificação de processos na área da reabilitação agilizando-os com base em procedimentos legais já existentes ao invés de, como me parece querer fazer, os complicar criando mais entraves e atrasos que podem ser nefastos aos investimentos em curso e retrair outros futuros.

Apesar de esperar que não seja bem como parece sim, estou preocupado!
Mais ainda quando sei que à frente do urbanismo estão pessoas a quem na campanha expliquei bem os nossos problemas.

http://expresso.sapo.pt/rui-moreira-elogia-dupla-no-balanco-de-100-dias=f854889


Jorge Garcia Pereira

20140211

Pós e Contras:

A TV nacional promoveu ontem um debate no Porto sobre o Porto.
Aquando o epistolado de Rui Rio era confrangedor assistir a debates no Porto tal a ausência de cidadãos que tivessem efectivamente algo de útil a acrescentar ao debate sobre a urbe. O discurso andava entre o tacanho e o bom samaritano.
Ontem por seu lado, foi agradável voltar a ver ilustres portuenses nas cadeiras da frente e com um discurso optimista relativamente ao futuro apesar da conjuntura nacional.
Se há algo efectivamente visível destes primeiros 100 dias de Rui Moreira à frente dos desígnios da cidade, é este regresso da ciência, da cultura, do povo, numa espécie de unanimidade e vontade colectiva de se fazer diferente, melhor.
Relativamente ao presidente em si gostei por exemplo de o ver a ter um discurso totalmente diferente daquele que teve na campanha relativamente ao mercado do Bolhão, demonstrando sem pudor que mudou de opinião para uma, a meu ver, bem mais acertada. Com isso demonstra não ser apenas elegante e ter boa imagem, mas também ser provido de inteligência.
Desejo vivamente que nas próximas eleições continue a gozar deste estado de graça, será bom sinal para ele mas, mais importante, para o Porto e para toda uma região.


Jorge Garcia Pereira

20140207

Cursos superiores de 2 anos?

A primeira vez que li uma notícia com mais esta brilhante ideia do governo do Sr Passos fiquei baralhado no tempo.
Pensei: Será 1 de Abril?!
O frio e a chuva logo me despertaram para a data em que estamos.
Depois pensei: Será que estou a ler o 'Inimigo Público'?
Também não, compro de facto o Público à sexta-feira mas não estava a confundir o jornal (nem o Y), com as 4 páginas de humor que o jornal insiste em agrafar ao resto das notícias.
Por fim concluí:
Estes tipos são mesmo capazes de inventarem das maiores idiotices que há memória. De falta de imaginação ninguém os poderá acusar, mas caros senhores e senhoras que tal usarem a vossa criatividade para coisas sérias?


http://www.publico.pt/sociedade/noticia/governo-vai-mesmo-arrancar-com-cursos-tecnicos-superiores-em-setembro-1622817




Jorge Garcia Pereira

20140204

Praxes académicas:

Estou a assistir ao programa Pós-e-Contras sobre praxes académicas.
Nunca tive grandes problemas com praxes (sempre tentei escapar delas), apesar de ter estado numa tuna universitária durante dois anos como 'caloiro' talvez pela minha pouca vertente 'académica'. Mas por lá fui respeitado e por lá criei bons amigos.
Fora desse contexto tive apenas um pequeno problema com um tal de dux em que simplesmente o mandei f...! Sim, o termo não foi o mais adequado mas o que me queria obrigar a fazer era simplesmente ridículo.

Não posso dizer ser contra praxes, tenho bons amigos e amigas que são a favor e sei que se divertiam e faziam divertir, mas não sou adepto e considero que a maior parte das práticas a que se assiste em muitas praxes serem reprováveis.

Há no entanto dois aspectos que me agradam particularmente no debate a que assisto:
Primeiro, finalmente o dux começa a ser visto como um idiota que emprega um cargo esse sim humilhante e que todos os estudantes deveriam querer evitar.
Segundo, os dirigentes das federações e demais associações académicas que vêm intervindo no programa são de facto estudantes pouco preparados, talvez sinal de terem cargos que despertem pouco entusiasmo para os alunos mais competentes.



Jorge Garcia Pereira

Isenção de IMI?

Não posso deixar de estranhar esta notícia após uma semana sobre uma visita duma equipa da fiscalização da CM Porto a uma obra nossa com um discurso totalmente antagónico a este. Não vou entrar em pormenores sobre o que me foi dito porque não me ficaria bem fazê-lo aqui.
Focando-me novamente na notícia o que a CM Porto diz aqui defender não é nada de novo, aliás, é previsto por lei. Para tal basta ler o Artº 45 dos Estatutos dos Benefícios Fiscais cuja Dra Marta Oliveira Ramos nos fez gentilmente chegar para defesa da nossa argumentação ao que na referida visita nos foi dito.

Confesso-vos que após visitas de fiscais que única e simplesmente entram numa obra de reabilitação à procura de problemas para nos levantar impedimentos e gerar novos processos para entupir os seus escritórios com mais processos de coisas totalmente inócuas, em resultado duma falta de bom-senso impressionante, e de me aperceber duma concorrência por parte de colegas totalmente desleal que tentam a todo o custo fazer-se mostrar a meus clientes de longos anos, dá-me uma vontade enorme de parar com tudo isto e deixar o Porto apodrecer ou entregá-lo de vez aos cuidados dessa gente.

Amanhã deverei estar um pouco melhor e lá voltarei a trabalhar com o entusiasmo do costume, até porque gosto muito do que faço e mais feliz por fazê-lo na cidade onde nasci.
Tenham um bom resto de dia.


http://www.jn.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Porto&Concelho=Porto&Option=Interior&content_id=3660253&page=-1


Jorge Garcia Pereira